Quem somos?

O que mais gosto no scrapbook é o fato de aumentar as possibilidades de amizades.
São amizades virtuais, que às vezes se tornam reais, mas não deixam de ser amizades.
Em 2009, o "Scrap pelo Brasil" foi criado, um grupo de scrappers para brincar e se conhecer melhor.
Por que esse nome?
Porque seria interessante integrar scrappers do Brasil todo no grupo, numa troca não só de informações sobre nosso hobby, mas também uma troca cultural.
Bom, o Scrap pelo Brasil já teve outros formatos, com outras integrantes, que são super queridas e por motivos diversos não estão conosco agora.
Aqui está o nosso time atual:

"Sou Aline Fonseca, carioca, leonina, professora. Conheci o scrap em 2009 através da Lu Oliveira e não larguei mais, pois sempre amei todo e qualquer tipo de ARTE. Adoro registrar tudo que me acontece e amo fotografias, então não tinha como não me apaixonar. Estou sempre aprendendo através das revistas, blogs e sites sobre o assunto. Meu conselho em se tratando de scrap é: OUSAR SEMPRE!!!"


"Descobri o scrapbooking em janeiro de 2010. Minha mãe fez 70 anos em março daquele ano e eu queria dar-lhe um presente diferente, que contasse a sua linda história de vida. Pensei em fazer um álbum de scrap com bastante texto, contando toda a sua história e de nossa família. Entretanto, eu não sabia nem por onde começar. Não conhecia os materiais a serem utilizados. Assim, decidi escrever um pequeno livro com toda a sua história e encomendei as ilustrações a uma artista gráfica. O livro ficou lindo e fez um tremendo sucesso na festa de seus 70 anos. Depois do livro pronto, resolvi que iria aprender scrapbooking e inciei com aulas em uma loja perto de casa. Aos poucos, fui navegando da internet, conhecendo blogs, fóruns, participando dos meus primeiros desafios e assim prossigo até hoje em minha jornada criativa. Sempre procurando aprender algo novo, uma técnica nova, enfim, sempre buscando melhorar.
Com o tempo o scrap foi tomando um novo sentido para mim. Hoje, quando faço scrap, minha intenção não é necessariamente registrar memórias. Sei que esta é a essência do scrap e foi assim no meu começo. Entretanto, hoje vejo que o scrap foi a forma que encontrei de viver uma vida criativa, com arte. Por esse motivo, meu scrap é visual. Eu tenho que gostar da foto que vou utilizar e muitas vezes não é a foto o mote inicial do trabalho. Diversas vezes começo pelo material ou por uma técnica e vou buscar a foto que acho que vai ficar bem visualmente no projeto. Por isso, a repetição de fotos em vários projetos. Não sou muito chegada a journaling, Gosto de papéis com muitas coisas para serem recortadas e montadas de forma a criar um cenário que reflita o meu interior naquele momento. Por isso, adoro páginas românticas e que remetam a cenários de lindos jardins repletos de borboletas e pássaros. Minhas páginas refletem o meu desejo de que a vida fosse um verdadeiro jardim florido sempre. Já que não dá para ser assim, que seja nas minhas páginas de scrap. No mais, adoro tintas, gesso, carimbos e máscaras para construírem os meus cenários de sonhos. O scrap é uma deliciosa forma que encontrei para sonhar acordada."


"Comecei a fazer scrap em 2005, porque minha mãe ia fazer 50 anos e eu queria dar um presente bem especial. Comecei a pesquisar e descobri o scrap. Desde então não parei mais. Em alguns momentos da minha vida ele ficou um pouco parado, mas nunca esquecido. Em 2008 abri uma loja de artesanato, incluindo (lógico) scrap. A partir daí o scrap passou a ser mais presente na minha vida."


"Meu nome é Bruna Cheles e sou de São Paulo- SP, o meu interesse pelo Scrapbook começou na hora em que vi um artigo numa revista, aquilo me encantou, na época estava na faculdade e na cidade que eu morava ninguém sabia o que era, rsrsrs. Voltei pra São Paulo e quando minha filha nasceu no final de 2008, pensei em fazer um álbum personalizado pra ela e finalmente em 2009 fiz minha primeira aula, a partir dai não parei mais, papéis, fitas, botões, tomaram conta a minha vida e hoje o Scrapbook é minha maior paixão, é onde eu vivo novamente as emoções e as memórias da minha vida, registrar o crescimento dos meus filhos nos álbuns de scrap é uma delícia, e espero poder inspirar vocês com minhas páginas. Uma dica: não saia comprando tudo o que vê pela frente, o Scrapbook é fascinante e tem uma infinidade de materiais que enchem nossos olhos, então, se você está começando vá com calma e compre materiais coordenados, de preferência de uma mesma coleção, fica muito mais fácil combinar os papéis e fazer páginas lindas sem ficar com uma pilha de papéis parados porque não combinam entre si, experiência própria, rsrs."


"Sou Carol Bugay, curitibana nascida em 30 de agosto, casada e mãe do Arthur. Conheci o scrap em 2007 e comecei inspirada pelo meu super parceiro, namorado e amigo (atual marido) e fiz diversas páginas com nossas aventuras... Logo depois comecei a presentear todo mundo fazendo cartões, páginas de scrap, quadros, presentes, mimos, sempre usando papéis. Em 2009, quando o Arthur nasceu, passei um ano muito difícil, sem produzir nada, correndo em hospitais com ele e para fechar aquele ciclo que terminava com sua última cirurgia, resolvi fazer uma festa de um ano pra ele toda personalizada usando o scrap... e depois disso não parei mais... muitos mimos, decorações de festas, presentes! Sempre levando o scrap junto com trabalho, faculdade, estágio... e sempre inspirada pelo prazer de presentear e de imaginar alguém recebendo algo que fiz com todo o carinho. E agora, estou numa nova fase, deixando quase tudo de lado, focada na possibillidade de viver um sonho... viver de scrap! Minha dica para quem está começando é muita calma na hora das compras! No começo basta cola, papel e tesoura, façam aulas de scrap, ouçam dicas e só aí se aventurem nas lojas, pois é tudo muito lindo, colorido, atrativo e caro, mas nem sempre é indispensável!"


"Sou Daniele Pacifico, nasci em 28 de abril, moro em Vila Velha, casada e mãe do Enzo. Conheci o scrapbooking no finzinho de 2004, numa reportagem da revista Casa Cláudia - foi paixão à primeira vista. Ralei muito no começo para obter os materiais próprios para scrap, pois na época quase ninguém sabia o que era o tal scrapbooking! kkkk Por isso sou apaixonada por materiais simples, que todo mundo tem em casa - botões, linhas, fitas... outra paixão são os papéis - se você tiver só papel, tesoura e cola em mãos consegue fazer uma página belíssima! Por isso, minha dica para quem tá começando é - use o que você tem em casa para incrementar suas primeiras páginas. Com o tempo você vai adquirindo novos materiais e novas técnicas."


"Meu nome é Huaína Kélvia, também sou taurina, do dia 08/maio. Moro em Goiânia - GO e conheci o scrapbook por acaso em 2005, fiquei curiosa, entrei na internet e pesquisei sobre o tema. Descobri que unia arte com fotografia, daí foi amor à primeira vista. Na época minha primeira e única sobrinha tinha nascido e eu fiz o álbum dela, depois fiquei um tempo parada (não totalmente, mas esporadicamente) e voltei com ânimo total em 2009. Sempre leio revistas, sites e blogs e acho que isso sempre traz um aprendizado a mais. O scrap, como tantas outras áreas, vem crescendo muito, são novas técnicas, novos materiais, novos adeptos dessa arte e possibilidades mil. Pra quem está começando agora digo: façam seus trabalhos por prazer, coloquem sentimentos neles, exercitem sempre e não tenham medo de arriscar!"


"Sou Karla Juliana, moro em Jacareí, interior de São Paulo. Tenho uma filha, que foi minha maior inspiração para o scrap. Conheci o scrap logo após o nascimento dela, que foi em 2006 e de lá pra cá se tornou um vício. Quando comecei, busquei muitas informações e acho que a cada dia o scrap traz mais coisas, então aconselho a participar de cursos e buscar muito na net, pois os blogs hoje em dia ensinam demais e o scrap é compartilhar e dividir as informações. Muito do que sei aprendi com as amigas. Meu material preferido é tinta. Adoro fazer bagunça com elas e acredito que o scrap traz muitas possibilidades. Desta forma, invista em materiais básicos no começo, pois falo por experiência própria, vou comprando tudo que vejo e depois nem uso. Então, meninas muita calma nessa hora rs!"


"Sou a Kátia, e aqui Kátia Cris (ou só Cris, porque Cristina é quando minha mãe tava P... comigo, rss). Moro em Uberaba - MG, mas passo maior parte do tempo em algum lugar qualquer do Brasil trabalhando com tecnologia educacional. Conheci o scrap em 2005 ou 2006? Deu branco! Sei que comecei para valer em 2006, mas nunca fui muito frequente na produção. Assim como a Dani, quando comecei tinha que me virar com papel, comprado na net, e coisas de armarinhos (botões, fitas,...). Os botões continuam até hoje, junto com as tintas, que descobri que adoro, e as costuras. Agora tenho me dedicado mais ao scrap, mesmo porque surgiram algumas aulas, nas quais me divirto imensamente. Para quem está começando digo que "não se obrigue a nada. O scrap tem que ser tranquilo e divertido, mesmo porque a inspiração às vezes foge. Se tem vontade, faça 10 páginas, se está sem ânimo... vá ler, assistir TV... que a qualquer momento a vontade volta"."


"Sou a Leila, moro em Araruama - região dos Lagos do RJ, sou casada e tenho 2 filhos, que são minha maior fonte de inspiração. Conheci o scrap há vários anos, mas só comecei a fazê-lo em outubro de 2010 e nunca mais parei, amo e sou viciada nisso! Sempre gostei de fotografias e o scrap veio complementar essa paixão!!! Minha dica é se joguem, arrisquem, tentem e inventem, cedo ou tarde você vai achar seu caminho e o estilo que te faz feliz, ou como eu, todos!!!"


"Sou Luciana Oliveira, conhecida por todos por Lu Oliveira. Cancerian com rabinho de leão, como dizia minha saudosa avó, porque sou de um dos últimos dias desse signo. Comecei a descobrir o scrap em 2004, na banca de jornal, mas escrevendo a monografia não podia nem pensar no assunto. No ano seguinte, estudando para fazer a prova da OAB, fiz meu primeiro curso... não parei mais. Em 2010, ganhei o Vinícius,  figurinha fácil nos meus LOs. Ele é a minha maior fonte de inspiração, é pra ele que eu crio e vivo todos os meus dias. O papel é o mais perfeito material para scrap... você pode fazer tudo com ele... cortar, rasgar, amassar, pintar, desenhar, carimbar... enfim, mil e uma possibilidades de criar, às vezes com simples pedaço de papel branco!"

"Eu me chamo Fátima Megumi Assano, mas nesse mundo mágico e colorido do scrap, sou conhecida como Megui. Moro em Campinas SP. Casada e mãe do Tiago e do pequeno Lucas, que são as minhas inspirações pra fazer scrap. Conheci o scrapbooking em 2006, mas comecei a fazer mesmo no começo de 2007... conheci o Scrapdiary, comecei a participar dos desafios e nunca mais parei. Adoro esse mundo cheio de cores, materiais, recursos e técnicas. Hoje sou muito feliz, pois faço parte do DT do Scrapdiary desde 2008 e fui uma das professoras do Fun Scrap Party e do Extravagance 2009. Adoro ministrar aulas pelo Brasil e conhecer tantas pessoas queridas que amam esta arte. Minha dica para quem está começando agora, seria: não tenha dó de cortar e usar aqueles papéis maravilhosos que você comprou... com certeza, ele vai ficar mais lindo ainda no seu álbum. E de repente se você não tiver ideia de como usar certo papel ou material, vá até o site ou blog do fabricante, que sempre tem ideias e dicas de como usá-los."


Para conhecer nossos blogs basta clicar em nossas carteirinhas nas laterais do blog.

Um comentário:

  1. amei suas historias, cada qual com seus encantos, estou amando, vou entrar em algum próximo desafio. beijooos, obrigada pela dedicação, vocês ajudam muitas e muitas pessoas a serem mais felizes através do scrap. Amoooo

    ResponderExcluir